O que, afinal, caracteriza um imóvel de luxo? Um conjunto de fatores que, juntos, tornam especial um empreendimento


Foto: Melnick Even | Divulgação


Melnick Even | DivulgaçãoConstruído pela Melnick Even, o edifício Window fica no bairro Petrópolis, em Porto Alegre

Fala-se em até R$ 16 mil o valor do metro quadrado. Também se conhece os bairros que concentram empreendimentos de luxo – a saber, Bela Vista, Moinhos de Vento, Petrópolis e Três Figueiras. No entanto, o que valoriza um empreendimento para considerá-lo alto padrão?

Segundo Eduardo Sukienik, diretor superintendente da Brasil Brokers Noblesse, localização é considerada a exigência número um. Soma-se a isso o projeto arquitetônico, as plantas das unidades (em especial, as áreas sociais, que devem ser amplas e iluminadas), acabamentos e o design geral do condomínio.

“Existem diferentes públicos consumidores de imóvel de alto padrão. Os casais maduros escolhem unidades amplas em empreendimentos com pouca infraestrutura. Já casais jovens (com ou sem filhos) exigem áreas sociais coletivas, mesmo que o apartamento em si tenha um tamanho menor”, define Marcos Colvero, diretor de incorporações da Melnick Even.

O consumidor desse tipo de imóvel traz de suas viagens referências e expectativas de moradia. “É um público que tem contato com o que existe de melhor no mundo, atento às tendências internacionais. Por isso, cada vez mais os empreendimentos devem acompanhar o que acontece fora do Brasil. As unidades entregues com automação, por exemplo, e modelos de design diferenciados são exemplos disso”, declara Colvero.